01/10/09

Sobre a obsessividade compulsiva originada por stress

Começo por agradecer os vossos comentários ao longo de toda esta situação do Sushi, que só denotam, uma vez mais, o quanto as pessoas que amam os animais se preocupam, se interessam, se entreajudam. Obrigada, mesmo! Quem gosta dos meus monstrengos sobe logo 429 mil pontos na minha consideração!

Em relação à possibilidade de se tratar de obsessividade compulsiva originada por stress, confesso que não percebo muuuuito do assunto e não sei exactamente se haverá uma grande distinção entre obsessividade compulsiva e ansiedade de separação, pois parecem-me ambas originadas por stress - peço desculpa a alguém mais entendido que esteja a ler caso eu esteja a dar uma grande calinada, mas façam o favor já agora de explicar a mim e aos demais pois nestas coisas convém mesmo estarmos bem informados (não se esqueçam que sou jornalista e adoro investigar e aprender para depois poder informar os outros). Quando o vet falou em ser um problema mais psicológico do que propriamente um fungo ou whatever como a primeira vet dizia, explicou que basicamente ele estava triste, aborrecido, deprimido mesmo, por causa de algo que lhe tenha causado stress (que viemos a perceber ser o facto de eu ter recomeçado a trabalhar fora de casa). Era por se sentir assim que ele se automutilava de forma compulsiva. Daí as lambidelas até fazer ferida e mesmo depois de haver ferida continuar a lamber. "Compulsivo" diz tudo, certo? (Se bem que agora que estou a tentar descrever-vos tal e qual o que ele disse, parece uma grande misturada, porque triste não é o mesmo que aborrecido... e depressão não é o mesmo que obsessividade compulsiva... Enfim...)

Além dos comprimidos o vet também nos recomendou algumas técnicas de modificação comportamental, que batem certo com o que o antigo treinador da Emma também diz: acabámos com as despedidas à saída de casa ou com as festarolas quando entrávamos, às vezes saímos e entramos logo a seguir, só damos festas quando nós o chamamos e não quando ele vem pedir, etc. etc.

Já me têm dito que estas coisas demoram algum tempo e a verdade é que logo quando começámos a fazer isto ele mudou muito, por isso vemos resultados, mas não definitivos, se é que me faço entender.

Eu acho que, se continuarmos com estes comportamentos para com ele e se conseguirmos que ele cure a ferida, para parar de a lamber ainda mais, então se calhar ele não vai abrir mais feridas. Esta noite ele dormiu connosco e não tirou a ligadura, ralhamos com ele sempre que tenta e agora ao almoço vou a casa certificar-me que ele ainda a tem ou por-lhe uma nova se for caso disso. Pode ser que devagarinho, devarinho... Mas aceito mais sugestões!

6 comentários:

Claudia Estanislau disse...

olá,
Realmente obsessividade compulsiva não é o mesmo que ansiedade originada por separação, embora tenha toda a razão quando diz que ambas originam do stress. A descrição do veterinário concordo que tenha sido vaga e quiça confusa, uma vez que como diz stress, não é o mesmo que depressão por exemplo, e sabendo nós que os nossos amigos são seres sencientes, não me parece que nem para eles depresssão seja o mesmo que stress.

Quanto ás diferenças não é fácil explicar num comentário, mas o que posso fazer é escrever no meu blog um artigo acerca da diferença entre os dois e esperar que isso te ajude a esclarecer algumas dúvidas.

Vou tentar fazê-lo hoje. Apenas um promenor, o que o Sushi sofre não parece coadunar com um prognóstico de ansiedade por separação mas sim obsessividade compulsiva, o que quer dizer que esses rituais de entrar e ignorar não terão grande efeito (embora seja muito verdade que estas coisas demoram o seu tempo), mas a minha preocupação é que alguma dessas coisas possam inclusivé intensificar o stress do cão (é uma especulação) mas se está mal diagnosticado é como dar um calmante a uma pessoa com dor de estomago.

Bjs e as melhoras para o Sushi

Guida disse...

OLá

Tenho seguido nos ultimos tempos o seu blogue. Tenho 9 cães que me trazem muita alegria e preocupação também.Uma delas foi operada recentemente à displasia da anca e está em recuperação.
Mas estou a escrever-lhe porque me lembrei de um livro que li que descreve diversas situações parecidas com a do Sushi e talvez a ajudasse no problema que está a passar. O nome do livro é "A Encantadora de Cães" de Jan Fennel e comprei-o na FNAC.
Espero que ajude de alguma forma !
As melhoras do Sushi!
Guida

Uma dona babada disse...

cláudia, muito obrigada pela ajuda. acho que é um problema comum e que gera muita confusao nos donos, por isso agradecia de facto se pudesses escrever sobre isso (quando puderes) e se me desses autorização eu depois também divulgava aqui no blog citando o teu blog.

guida, obrigada também pela sugestão. ofereceram-me esse livro poucos meses depois de ter a Emma e adorei. como está organizado por capítulos consoante os vários problemas, depois de o ler dessa primeira vez não voltei a consultá-lo com frequencia, por isso vou seguir o seu conselho e vale a pena procurar para ver lá o que se diz sobre isto.
só mais uma coisa: 9 cães é obra!!! tem um blog sobre eles? ou nao sobra tempo? :)

O Cantinho da Mimi disse...

Olá..

Dá uma espreitadela no meu blog ;)
www.ocantinhodamimi.blogspot.com

Beijos*

Lígia disse...

Pois, eu ia mesmo dizer para procurares livros sobre cães, pode ser que reconheças comportamentos do Sushi em algum e te ajude, não sei...É muito mau quando não podemos solucionar qualquer problema do nosso animal...o meu Kilo tem epilepsia e nem te digo o sofrimento em cada ataque...enfim, tento mimá-lo ao máximo, mesmo quando não devo, porque penso sempre que lhe pode acontecer alguma coisa e aterroriza-me pensar que ele não foi amado e acarinhado a cada segundo...enfim, é daqueles sentimentos que só "nós" conhecemos;) Muito boa sorte com o teu problema!

Claudia Estanislau disse...

olá, desculpa a demora, mas finalmente publiquei os dois artigos que tinha prometido. Espero que ajudem, senão podes semppre contactar-me que tento ajudar no que posso.

Cpts e as melhoras paran o Sushi :D