07/10/09

A dúvida paira no ar

Temos feito um esforço todos os dias no sentido de sermos bem sucedidos na adaptação entre os caninos e o felino que agora habitam na nossa casa. Eles vêem-se através das portas de vidro da sala ou então com o Bart dentro da transportadora num local elevado e os cães soltos a uma certa distância. Não voltámos a tentar ter o Bart solto e um dos cães presos a olhar para ele na mesma divisão.

Mas devo desde já dizer que não tem corrido bem... Ainda tenho esperanças que com o tempo melhore mas...

Os cães ficam hipnotizadíssimos a olhar para ele, a Emma desejosa de brincar (à bruta, claro) e o Sushi desejoso não se sabe bem do quê. Quanto ao Bart, não baixa a guarda, bufa, rosna e berra tanto que às vezes até parece uma gata com o cio.

Ontem tive de sair a correr da casa de banho para me certificar que nenhum deles tinha conseguido abrir a porta da sala onde o Bart estava, porque estava a ouvir uma barulheira desgraçada. Conclusão: era o Sushi a rosnar e a fazer investidas contra a porta e o Bart do lado de dentro a atacar.

É impressionante como aquele bonequinho de peluche meiguinho e falador, que adora deitar-se de barriga para cima no meu colo a pedir festas, se transfigura quando os cães estão por perto. Fica eriçado, grande, com as pupilas dilatadas e as orelhas para trás, mesmo com ar de mau. Quando começa a bufar faz lembrar uma cobra. Enfim, um pesadelo.

Além disso, como me custa imenso que o Bart fique sozinho mas também não acho justo os meus cães ficarem privados da nossa companhia, o que acaba por acontecer é que eu vou para junto de um e o Dono para junto dos outros. Ou seja, nos últimos dias quase não vejo os meus cães e o meu marido.

Juntando isso ao facto de o Bart passar a maior parte do tempo fechado à chave (tenho medo que algum dos 3 consiga abrir a porta) no nosso quarto, que tem uma casa-de-banho onde pusemos o caixotinho dele e as tacinhas da água e da comida, sempre com a janela fechada para não fugir (a ideia dos mosquiteiros é boa mas só avançamos se tivermos a certeza de que ele vai ficar connosco), enfim, podem imaginar o cheiro...

Não sei mais o que fazer, só sei que, apesar de a vinda dele ter sido uma situação bastante inesperada, agora gostávamos mesmo que tudo corresse bem. Se tivessemos só um cão, ou se os cães já fossem mais velhos, ou se o Bart não fosse tão terrorista, ou se... se... se... São muitos "ses"!

:(

5 comentários:

Sónia disse...

Tens o Bart há muito pouco tempo!! Deve ser uma confusão naquelas cabeças!! Mas com o tempo vai lá! No fundo os teus cães estão habituados a gatos (andam por ai amiguitos na rua, certo?) Depois ao que parece, o Bart gosta de cães, não é?!?! Agora é só uma questão de território!

Se em vez de cães fossem gatos ias ter o mesmo filme!! Vai dando a uns e a outros mantas a cheirar! Reforça os mimos aos cães!

E boa sorte!!

Ka disse...

É normal que ambos estranhem as mudanças. Se fosse tudo gataria aí em casa tinhas o mesmo problema. Quando a Zara (gata)chegou lá a casa o Pépe (gato) não gostou nada da conversa. Era estaladas e bufadelas por todo o lado. Com o tempo foram-se habituando um ao outro. Os teus cães nunca tiveram de partilhar o espaço, é normal que sintam a mudança. Para o Bart tudo é novo e diferente, desde as pessoas, a casa, os cheiros... e ainda tem 2 cães enormes que metem respeito.
Eu sei que podes estar preocupada (para não dizer desesperada), mas tens de dar mais tempo ao tempo e ir fazendo algumas aproximações graduais.

Força!

Isa disse...

Estive fora uns dias e só agora andei aqui a cuscar as notícias ;)
Eu já tive gatos e cães ao mesmo tempo e ao pricipio também custou, a gata bufava para os cães e os cães era mais curosidade que outra coisa.
Mas passadas umas semanas já dormiam enroscados uns nos outros =)
Aos poucos vais ver que a relação entre eles vai melhorando.
Boa sorte!

Van Dog disse...

Pesquisa na net dicas para ajudar... Se eu encontrar aviso.
E acho que tens que estar relaxada. Tenta, com calma, sem pressas. É um esforço grande, mas eu tentaria não perturbar demasiado a minha vida, para aguentar mais tempo.
E depois, se der, felicidade!! Mas, se por qualquer razão, não conseguirem um equilibrio, com certeza que vais encontrar uma solução que garanta o bem-estar de todos.

Coragem!

Carracinha Linda! disse...

Bom, imagino que não é uma situação fácil. Mas é preciso não esquecer que a inclusão do Bart ainda é recente. Daqui por uns dias começam já a estar habituados uns aos outros.