14/10/09

Más notícias, péssimas notícias e realmente óptimas notícias!

Na 2ª feira fui visitar o Joy e não gostei nada de o ver. Está mais magro, parecia ter os olhos congestionados, enfim... não está tão bem tratado como dantes. Fiquei muito triste. Claro que eu sei que ele está melhor que muitos, que nem comida e abrigo têm, mas mesmo assim não me conformo enquanto ele não for adoptado. Não sei se ele me reconheceu... Miou e roçou-se nas minhas pernas, fiz-lhe festinhas, foi-me mostrar onde era a tacinha da comida (que estava vazia) como se estivesse a pedir para lhe dar paparoca (sim, porque eu não apareci lá de mãos a abanar, é claro que lhe levei comida).



Esta era a má notícia. A péssima notícia também tem a ver com um gato. O Bart, claro. Infelizmente, não vamos mesmo poder ficar com ele. Há duas noites ele conseguiu escapulir-se do quarto enquanto os cães estavam entretidos a comer. A culpa foi mais minha que outra coisa. Mas o que eu sei é que os cães deram por isso, apareceram, pegaram-se os três, felizmente não houve grandes mazelas, mas eu enervei-me imenso. Acabei por ficar cerca de uma hora fechada com o gato no escritório com os cães do lado de fora, sem poder abrir a porta com medo que a cena se repetisse, até que o Dono lá chegou a casa e me ajudou.
A conclusão a que chegámos é que apesar dos nossos esforços, não só não houve progressos, como temos de evitar uma cena destas a todo o custo. Encarámos esta experiência como FAT, com potencial para ser FAD, mas agora percebemos que vamos mesmo ter de nos ficar pelos monstrengos e não haverá mais cães nem gatos lá em casa.
Encontrar um bom dono para o Bart não será muuuuito difícil, visto que é um gato de raça, lindo, meigo, etc etc etc., mas ele é muito especial para nós que o temos há uma semana, quanto mais para a Lígia e o Luis do SOS Animal que o tiveram durante um ano. A questão é que o Bart tem de ser filho único. Nem eles nem nós podemos ficar com ele por causa disso, com muita pena de todos. Se nós ficássemos com o Bart, eles sabiam que ele ficava bem entregue e podiam visitá-lo sempre que quisessem matar saudades. Mas vamos mesmo ter de procurar outra família. No entretanto, está connosco, está bem, nós vamos aproveitando o privilégio que é tê-lo lá. Ainda hei-de escrever aqui mais sobre esta aventura.


A óptima notícia já vocês todos devem ter ouvido falar. A proibição de aquisição e de reprodução dos animais perigosos e exóticos que infelizmente estão nessa prisão chamada circo. Detesto circo com animais, odeio mesmo. Não consigo ver uma única coisa boa: não só não têm condições para tratar bem dos animais e eles claramente estão em stress, como há também esse pequeno pormenor que reside no facto de os animais merecerem viver em liberdade e não uma vida de trabalhos forçados só para dar lucro aos donos. Estou muito feliz com esta notícia, pois parece que finalmente se fala neste assunto e se faz alguma coisa. Até passou na televisão e tudo! Agora resta-me esperar que mais leis sejam feitas para proteger os animais e que passada esta febre das campanhas eleitorais haja por aí algum político que abra os olhos. Não podemos continuar a considerar os animais como "coisas" nem a deixar que eles sejam mal-tratados sem nenhuma punição. E se ninguém fizer nada, nem que eu me candidate a alguma coisa, só para poder fazer eu, ehehehe

5 comentários:

Sónia disse...

Mas os teus colegas não ficaram de dar um olhinho nele??

Quanto ao Bart, faz a divulgação que passamos a todos os conhecidos!
Achas que o problema e dele com os cães, ou dos cães com ele?!

Dos circos.........é o principio do fim da exploração animal! Mas ainda vai correr muita agua!!

Isa disse...

Também estou super feliz com a história dos circos.
Já era tempo de uma lei deste género.
Já estamos a evoluir, agora espero que aos poucos se vá dando mais importância ao bem estar animal.
Não devemos desistir nem perder a esperança.
Quanto ao Bart é realmente pena, espero que ele arranje doninhos rapidamente, assim como o Joy.
Os gatos costumam ter mais sorte do que os cães nas adopções. Espero que seja o caso desses dois bonitões =)

Uma dona babada disse...

O Bart merece ser filho único, ele é tao meigo, tão meigo, ele gosta mesmo é de pessoas.

Não sei se o problema é dele ou dos cães, suponho que é uma combinação das duas coisas. Ele sente-se ameaçado pk eles sao enormes, então ataca-os (ele atacou mais do que propriamente eles, que só queriam cheirá-lo).

A condição para ele cá ficar semrpe foi darem-se os 3, pk continuar a viver com as portas fechadas e com nós os dois a dividirmo-nos para nem ele nem os caes estarem sozinhos, isso nao dá para ninguem. Também nao acho bem k ele esteja sempre fechado no meu quarto, mas é o único sitio onde ele ta seguro...

Custa-me muito porque o adoramos, mas nao podemos ser egoistas e temos de pensar no melhor para ele.

Van Dog disse...

O Bart há-de arranjar um bom dono, sim. E o Joy também! Ainda há por aí muita gente que não conhece as delícias de ter um gato...

Van Dog disse...

Entretanto fiquei a pensar: que grande susto deves ter apanhado!
Os gatos são muito escorregadios - escapam por qualquer aberturazinha...