15/10/09

Há dias em que não devíamos sair da cama...

Continuo triste por causa do Bart. E do Joy. E da Leila. E, acima de tudo, por causa de todos os animais que precisam ainda mais de ajuda do que eles, pois gosto de acreditar que o facto de fazer parte da vida destes já os ajudou de alguma forma. Há muitas outras pessoas por aí que também protegem alguns animais, mas... e todos os outros?

Hoje é um desses dias.

De manhã, quando ia de carro para o trabalho (pois, ainda não comecei a ir de bibicleta), passei por um cão de rua à saída do meu bairro, onde não costumam estar cães, só gatos. Odeio ver um cão de rua logo pela manhã, fico mesmo mal disposta. Quero parar o carro, dar-lhe comida, água, mimos, tirar uma foto, ver se tem algum nome e número na coleira... Mas ou não tenho nada comigo, ou já estou super atrasada, etc etc. Depois já sei que não o volto a ver e que fico a pensar nele o resto do dia.

O SOS Animal recebeu imensos apelos de repente nos últimos dias. Mas isso não é novidade. A Lígia foi resgatar uns gatos bebés que um senhor ia deixar no contentor do lixo para serem triturados com o lixo. Sim, há pessoas capazes disso. E teve a lata de dizer que não fazia mal porque já andava por ali uma gata grávida por isso ia haver mais gatos a nascer em breve. O que raio é isto??? E depois há quem me venha dizer que esterilizar os animais é uma maldade... Os bebés estão todos a morrer com coriza. Entretanto há também uma cadela que precisa de ser operada à coluna. Com todas as despesas para abrir a clínica, temos mesmo dificuldades em continuar a ajudar. Tenho a newsletter em atraso mas sinto-me desanimada para escrever.

Preciso de uns óculos cor-de-rosa. Urgentemente!

2 comentários:

Sónia disse...

Sei bem o que sentes!!

Animo!!!!!

Tens de continuar!

Alex disse...

O que me parece é que cada um tem que ter a noção das suas limitações. Também psicológicas. Tem que as conseguir gerir. O envolvimento tem que ser gerido, por muito estúpido que isso pareça. Até porque alguém sem força não consegue ajudar.
Isto não é razão para se proteger tanto que não se envolva. Mas tem que se envolver na medida em que consegue ir lidando com isso.
Ou passa-se.

Ânimo!!

A propósito, a ideia do presente de Natal SOS Animal é genial!