10/07/09

"Migrações"



Como alguns de vocês já devem ter percebido, agora tenho um novo hobby: o patchwork. Por enquanto ainda sou mesmo uma wanna-be mas pronto... devagar se vai ao longe!
Montei o meu atelier de lavores na arredação, que é uma espécie de sotão na verdade, até porque da única vez que tentei coser em casa deixei cair um alfinete ao chão e entrei em pânico com medo que os cães o comessem. Por isso, decididamente tinha de me mudar. O que significa que agora sempre que vou trabalhar nos meus projectos (o que em plena "birthday season" tem sido todos os dias para poder acabar as prendas a tempo) tenho de deixar os meus fofos para trás... :(

Até que houve um dia em que o Dono também não ia ficar em casa (ah, porque da mesma forma que a arredação foi transformada em atelier, também a garagem foi transformada em ginásio com máquinas a sério e tudo). E comentei que tinha pena de deixar os cães sozinhos, porque já tinham passado o dia todo sem nós. E eis senão quando, against all odds, o Dono sugeriu que cada um de nós levasse consigo um cão. Cá para mim ele sente tanta falta dos cães como eu, mas faz-se de forte.

O Dono levou a Emma, eu levei o Sushi. Juro que não houve aqui nenhum tipo de preferências. É simples: a garagem é só a um lanço de escadas de distância e, apesar de não parecer porque ela anda sempre aos pinotes, não nos podemos esquecer que a nossa princesa tem displaxia da anca e que por isso não convém que ela suba e desça escadas. Por outro lado, da última vez que andei com ela à solta pelas escadas do prédio ela saltou para cima de duas crianças pequenas e de uma grávida. E, por fim, da última vez que a levei à arredação ela decidiu fazer xixi quando lá chegou, o que me obrigou a descer e subir outra vez 4 andares para ir buscar a esfregona e o balde. No more arredação para a menina Emma, escusado será dizer.

Então, levei o Sushi e ele portou-se tão bem, tão bem, tão bem, que se fosse possível ainda gostar mais dele do que já gosto, gostaria. Não sujou nada, não estragou nada, não me incomodou nada, deixou-me trabalhar concentrada e sossegada, até deixei cair um alfinete e ele nem ligou, até dormiu!!! E no regresso, não saltou para cima do administrador do prédio quando passámos por ele, nem se enfiou em casa dos vizinhos com a porta aberta. Só não resistiu foi a abocanhar quilos de bolinhas dos canteiros, mas pronto. O meu cão é o máximo, mas não é perfeito. Hehehe

4 comentários:

Pepe disse...

Só tu p me fazeres rir :)

Inca disse...

tão fofinho!bjs

Van Dog disse...

:)

Carracinha Linda! disse...

Os nossos amiguinhos são sempre uma óptima companhia!