15/03/11

Conversa de caca (outra vez)

Porque com o Sushi aparentemente vem sempre tudo em dose dupla (como aquela história de vomitar na manta), deu-lhe novamente uma cólica às 5 da manhã e ele veio chorar para a porta do nosso quarto.
A Danoninha decidiu que nesta recta final iria ter aulas de kickboxing pela madrugada fora, todas as noites, por isso eu ainda estava acordada. Com algum esforço lá me levantei para ver o que o cão queria. Pensei que talvez a Emma estivesse a ocupar a cama dele como às vezes faz ou que ele tivesse vomitado na manta ou sei lá o quê (àquela hora e depois de tanta porrada nas minhas entranhas não estava a raciocinar lá muito bem).
Mas depois lembrei-me que horas antes ele tinha conseguido comer raspas de madeira do canteiro na entrada do prédio. Sim, leram bem: raspas de madeira. Substituímos finalmente as bolinhas que eles comiam desalmadamente como se fosse ração por aqueles bocados de madeira próprios, na esperança claro está que eles pela madeira não se interessassem, e a coisa até estava a correr bem. Pelo menos já não vão esvaziar os canteiros do hall do prédio de todas as vezes que abrimos a porta às visitas.
Portanto, a conclusão a que cheguei foi: diarreia outra vez. Eu sei que este assunto não é o mais agradável mas há uma moral da história e eu estou quase a chegar lá.
Não queria propriamente acordar o Dono àquela hora num dia de semana para lhe pedir para levar o Sushi à rua, por isso - confesso - virei-me para o cão e disse-lhe que a culpa era dele e que se aguentasse. Eu sei, eu sei, nem parece meu, mas a Danoninha anda a tirar-me do sério com tanta pancadaria, ele é os pés encaixados nas minhas virilhas, a cabeça a comprimir-me as costelas até me faltar o ar, enfim... Nem ela está confortável nem eu, é a mais pura das verdades. Inspira, expira, só faltam uns dias.. e umas noites!
Só que, por milagre ou simplesmente porque anda preocupado com a possibilidade de me rebentarem as águas, sei lá, pelos vistos o Dono anda com um sono mais leve porque nos entretantos lá acordou. Sem sequer reclamar, ele que tem tão mau feitio quando acorda, calçou-se, vestiu um casaco por cima do pijama e lá levou o cão para fazer o que tinha a fazer.
E depois quando voltou para a cama, ainda me disse que eu o devia ter acordado logo, coitado do cão ali a aguentar há sei lá quanto tempo e que preferia levantar-se do que fazer o pobre cão passar mal e que se eu sabia que o desgraçado do cão estava assim ele também tinha o direito de saber e mais isto e mais aqueloutro. Enfim, eu passei de dar um sermão ao Sushi para levar um sermão do Dono.

Mas sabem que mais? Senti tanto orgulho do maridão que tenho. Ele é um excelente dono e vai mesmo ser um excelente pai. E essa é que é essa!

2 comentários:

Folhetim Cultural disse...

Olá passo em seu blog para convidar você a visitar o meu que é dedicado a cultura. De segunda a sexta feira noticiário cultural aos sábados minha coluna poética ás 09 horas da manhã e ás 5 da tarde Chá das 5 sempre com uma participação especial. Irei guardar sua visita lá. Abraços sucesso em seu blog.

Magno Oliveira
Twitter: @oliveirasmagno ou twitter/oliveirasmagno
Telefone: 55 11 61903992
E-mail oliveira_m_silva@hotmail.com

Ana Domingos disse...

Olá, dediquei-lhe um prémio lá no meu blog!

Ana Domingos.