13/09/09

Indo eu... indo eu...

...a caminho de um compromisso muito importante (conhecer pessoalmente uma nova amiga E receber emprestado o livro do Dewey) quando uma cadelinha em muito mau estado se cruzou, literalmente, no meu caminho. Quando dei por mim, estava de volta dela, a tentar ver se tinha algum número de telefone na coleirinha e a fazer-lhe festas da barriga - sempre um bom truque para perceber se é um menino ou menina.

Trata-se de uma cadela de porte médio e pêlo comprido e encaracolado, como se fosse um cão d'água, mas branquinha. Ou melhor... encardida e cheia de nós no pêlo. Pensei logo que já devia estar há algum tempo perdida na rua para ter o pêlo naquele estado lastimável. Não vos passa pela cabeça!

Mas enquanto eu estava a pensar isto eis que a minha sogra e a minha cunhada vão a passar no mesmo cruzamento e decidem ir ver se preciso de ajuda. A minha cunhada reconheceu imediatamente a cadela como sendo uma das três que vive numa vivenda naquela mesma esquina. Ora toca de ir tocar à porta para avisar que a cadela tinha escapulido e já agora aproveitar para lhes passar um sermão sobre ser um bom dono e cuidar bem do pêlo dos animais.

Estávamos as 3 nisto quando passa outra vizinha ali do bairro e nos começa a contar a terrível história daquelas cadelas e de como os donos as deixam sem comida por dias a fio e elas fogem do quintal para irem para a rua comer a comida que é deixada para os gatos. Contou-nos também que já tentou ajudar as cadelas e só levou foi com a má-educação dos seus supostos donos. Contou-nos tudo e mais alguma coisa mas não perdi muito mais tempo na conversa e passei logo à acção. Voltei a casa para ir buscar água e comida. Entretanto, cruzo-me com outra vizinha, esta mesmo do meu prédio, que tem duas cadelas adoptadas da rua e deixa os gatos ir dormir na sua garagem, ou seja, a minha vizinha mais fixe de todo o sempre, e expliquei-lhe que estava a ir ajudar as pobres cadelas da vivenda tal e tal. O que eu fui fazer... Esta vizinha sabia ainda mais pormenores sórdidos, porque vive ali há muito mais tempo e como passeia as cadelas acaba por falar com esta e aquela e sabe tudo. Vou poupar-vos aos pormenores, mas vou só contar-vos isto. Uma das cadelas andava sempre a ter ninhadas coitada e os donos não faziam nada, até que alguém a apanhou, mandou esterilizar, ficou com ela enquanto ela recuperava... e os donos nem deram por nada! COMO É QUE É POSSÍVEL???!! Passados uns tempos de a cadela lhes ter sido devolvida - erro nº 1 na minha opinião - a única coisa que comentaram foi que achavam estranho ela agora nunca mais ter engravidado...

Depois de dar comida e água àquelas pobres criaturas pelas grades do quintal e à outra que estava cá fora, cheguei à conclusão de que este é mais um daqueles casos como o do Dartacão. Mesmo que se roube o animal (e o meu problema é sempre para onde os levaria?) eles vão continuar a fazer o mesmo a outro que venham a ter. São pessoas sem coração, simplesmente. E os animais gostam deles o suficiente para ficarem por ali. Elas fogem para ir comer mas voltam. Elas VOLTAM!!! E como toda a gente infelizmente já sabe chamar as autoridades não dá em nada. Nenhuma delas está magra (pudera, a comer a ração dos gatos que todos os dias várias pessoas andam a espalhar pelo bairro) nem com maus-tratos visíveis, porque com as leis moles que temos o mais provável é o mau estado do pêlo não ser considerado tratar mal um animal. E mesmo que as cadelas fossem retiradas aos donos, iam parar ao canil.

Por isso, basicamente, e mais uma vez, não sei o que fazer. Posso continuar a ir lá deixar água e comida pelas grades, mas isso será apenas contribuir para o ciclo vicioso e não é uma solução definitiva para o problema. Até porque acho que é isso que os "donos" querem. Pois, é que a melhor parte é que eu acho que afinal estava gente em casa. Devem ter estado a gozar com a minha cara durante todo o tempo em que por ali andei preocupada a alimentar os animais deles... GRRRRR!!!

3 comentários:

Van Dog disse...

Será que não vale a pena fazer uma denúncia? À Sepna? Muito provavelmente não serve de nada, mas talvez lá vão? Talvez os donos tenham a noção que há algum controlo?
O único receio é que isso se volte contra os animais...

Cenas destas há às vezes no Animal Hospital - as autoridades tiram os cães aos donos, tratam de os cuidar e de lhes encontrar verdadeiros Donos, e esses xxxxx ainda ficam impedidos de ter animais durante uns anos. Enfim...

Carracinha Linda! disse...

Pois... em Portugal devia ser como em Inglaterra... comparado com eles estamos a anos luz no que respeita aos animais.

Essas pessoas assim não merecem qualquer tipo de consideração. Eu não consigo entender como é que algumas pessoas insistem ter um cão (ou outro animal) se não estão vocacionados para tratar deles. A sério que não entendo.

Realmente este país nesse aspecto é tudo menos civilizado!

Uma dona babada disse...

concordo plenamente. adoro ver o Hospital dos Animais e fico sempre a suspirar para um dia as coisas serem assim por estes lados.

estou mesmo chateada com esta situação. a minha sogra, que não tem muita noção da realidade dos maus tratos e do abandono (embora eu esteja sempre a contar cenas que nos acontecem no SOS Animal para ver se ela abre os olhos) só dizia: "para que é que querem ter um cão se depois não tratam bem dele??!" tal e qual como a Carracinha estava a dizer.