03/04/11

Quem ri por último ri melhor!!!

Ah pois é, quem tem telhados de vidro não deve atirar a primeira pedra. E eu sempre soube que um dia a minha sogra ia provar do seu próprio veneno. Depois de nos ter levado à loucura com as bocas por causa dos monstrengos, eis que foi o cão dela quem se portou "mal" ao conhecer a Danoninha. Verdade seja dita, o cão não fez nada de errado, porque do ponto de vista dele é de facto um cheiro novo, que o deixa curioso, portanto há que deixá-lo familiarizar-se. Da mesma forma que cá em casa foi tudo feito gradualmente e agora podemos dizer à boca cheia que a adaptação foi um sucesso, também o cão dos meus sogros precisa de tempo para se habituar e perder a histeria toda. Sim, HISTERIA é a palavra. Ele cheirava de um lado, cheirava do outro, chorava, ladrava, tentava lamber, eu sei lá mais o quê. A Danoninha dormia como se não fosse nada com ela (se não acorda com o ladrar "à macho" da Emma, não ia acordar com um ladrar da treta). E estão a ver o meu ar de preocupado? Não estão, porque sinceramente prefiro dar a bebé a cheirar, prefiro ter de lavar a mantinha que ela trazia porque o cão lhe tocou, prefiro dar-lhe festinhas durante todo o processo, do que proibir o contacto entre os dois ou refilar com o cão ou seja o que for. Até porque tenho a certeza ele vai ser mais um amiguinho da Danoninha, pois quando eu voltar ao trabalho é na casa dos meus sogros que ela vai passar os dias. Aliás, quando vínhamos embora o cão queria vir no elevador connosco eheheh E aqui entre nós: ver o ar constrangido da minha sogra, com o rabinho entre as pernas, a admitir que o cão dela estava a portar-se pior do que ela achava que a Emma se ia portar, fez-me ganhar o dia!

3 comentários:

Blog da Rutha disse...

Sogra é tudo igual ! A minha também comenta sobre o meu labrador Barum mas as poodles dela são muito piores, inclusive ums delas já me mordeu !!! Ninguém, pode se mexer na casa dela que as pestinhas começam a latir...
A Danoninha vai realmente crescer entre cães ! Logo vai ser a líder da matilha...
Beijos
Laís

sandra calvar disse...

ah ah ah
(sem mais comentários) ;)
bj

Carracinha Linda! disse...

;)

Acho muito saudável os bébés crescerem perto de animais e aprenderem desde cedo a respeita-los.

E é tão bonio ver que os nossos patudinhos recebem os bébés tão bem.

No dia em que o nosso piolhinho veio para casa, as minhas 2 "tronguetes" cheiraram e ladraram mas logo que se aperceberam que era um bébé acalmaram. Agora são umas lapas autênticas, sempre perto dele. Mesmo a Netty (que agora está em casa dos meus pais) adora o bébé e não o larga. A Goldie cá em casa está sempre perto dele, deve pensar que tb é mãe dele. E a Putchi velhota tb é muito delicada.