02/07/10

Cala-te boca!

A maioria dos casais que conhecemos estão a viver a sua fase "Kinder Surpresa": parece que toda a gente que conheço está à espera de um bebé/acabou de ter um bebé/tem uma criança pequenina em casa.

Fico sempre feliz pela malta, faço questão de evitar cair nas perguntas clichés porque acho que deve ser um bocado chato e desato logo a pensar em prendinhas para dar. Às vezes perco a cabeça, como se os filhos fossem meus, estão mais ou menos a ver a coisa?

Mas depois quando o bebé já nasceu e os papás e mamãs falam sobre coisas como "responsabilidade", "instinto", "amor incondicional", ou simplesmente gabam pequenos feitos dos seus rebentos, estou sempre a morder a língua porque ocorre-me sempre alguma comparação inteligente com os meus cães. Apetece-me dizer: "Ah, que giro, a Emma também faz isso!" ou "Já tivemos esse problema com o Sushi e tivemos de..."

Eu sei que há por aí muita gente que fica chocada com estas comparações, mas continuo a defender o meu ponto de vista (que pelo menos por agora é este, se calhar depois de ter filhos mudarei de ideias):
- nos primeiros tempos de vida, as crianças agem basicamente por instinto, por raciocínio,
- conhecem-nos e amam-nos, mas ainda não têm meios sofisticados de comunicação connosco e às vezes deixam-nos confusos,
- testam os nossos limites,
- agem de forma impensada,
- são ingénuos,
- precisamos de ser coerentes na educação que lhes damos,
- precisamos de ter atenção com tudo o que fazem, com o que levam à boca, com as coisas que os podem magoar,
- fazem-nos chegar mais tarde ao trabalho porque temos de os levar ao médico,
- estragam coisas,
- querem brinquedos,
etc etc etc

E isto já para não falar que 3 anos a limpar o xixi e o cocó da menina Emma já me devem ter comprado alguns meses no céu das fraldas.

Então quem fica chocado com estas comparações, que não fique. Não o faço por mal, nem por achar que com isso estou a "rebaixar" um bebé ao nível de um cão (ui credo!), mas porque acredito na biologia, no ciclo da vida, no instinto animal. Acho que não há nenhuma fase da vida em que os humanos se aproximem mais dos animais do que quando são bebés. Não é um desprestígio, é um facto.

Mas, pelo sim pelo não, deixa-me lá pensar duas vezes antes de abrir a boca ou terei uma catrefada de pais furiosos à perna!

11 comentários:

Marta disse...

Olha eu sou mãe e tenho gatos e não fico nada chocada com as tuas palavras, pelo contrario não podia concordar mais com elas, vistas as coisas tenho 7 criancinhas: 6 de 4 patas e 1 de 2 patas ;) cá em casa e a pior é a 2 patas e quando se junta a uma das 4 patas e descobrem uma coisa muito gira para brincar ai é que a coisa fica mesmo gira, parabéns pelo post e pelo blog.

Van Dog disse...

Às vezes os humanos esquecem-se que também são animais...

Lígia disse...

Hahahahahah! ó dona babada, eu tava a ler o teu post e tava a ver-me a falar!!! Quantas e quantas vezes estou a conversar com pessoas que tem bebés e acabo por parar a frase logo de início porque vou comparar a criancinha com os meus animais, lol! Ou paro a meio ou acabo por dizer outra coisa qualquer! Geralmente acontece-me mais quando se fala da educação e estamos a falar de coisas do género "pois, temos de dizer que não, não podemos ligar muito senão é pior, temos de impor regras...", e eu dou por mim a falar de cães enquanto a pessoa fala da criancinha, hehe! Mas também temo a reacção à comparação, é verdade, embora para mim seja tão natural...;)

Carracinha Linda! disse...

Olha... eu sou como tu!
A minha colega de trabalho que já tem uma menina está sempre a contar as coisas que ela faz. Pois quando ela acaba começo eu com as histórias sobre as minhas "meninas"! :)

É o que faz sermos umas donas babadas (desculpa estar a roubar-te o nome) e adorarmos os nossos amiguinhos.

Mesmo quando brigam na hora de comer o petisco de trinca de arroz e para os separarmos agarramos num e o outro na fúria de morder o outro acaba por nos morder a nós.

Foi o que me aconteceu a semana passada. A Netty e Goldie têm sempre ração 24h/dia. Mas adoram trinca de arroz. Então tornou-se hábito dar-lhes um pouco ao jantar. O prblema é que comem à ganância para depois tentarem comer da outra. E às vezes quando se encontram a cruzar caminho para o comedouro da outra, a Goldie começa a rosnar baixinho (volta e meia anda sempre a resmungar, parece uma velhota que ralha por tudo e por nada)e começa a aproximar-se da Netty que, como a dizer-lhe "chega para lá", solta-lhe um ladro. E pimba... várias vezes se pegaram a sério. A semana passada isso voltou a acontecer e eu ao separa-las agarrei na Netty ao colo (é mais leve) e a outra que estava tentar morder a Netty mordeu-me a mim: perna, braço e mão. Resultado: uma noite cheia de dores e ir no dia seguinte ao centro de saúde. curativo na perna e braço e mão ligada para proteger feridas.
A tótó da enfermeira começou a dizer q quando começam a morder nas pessoas já não mudam e que acabam por se ter que abater. Grande mentalidade, não? Saí de lá e fui dreitinha ao vet onde, em estado nervoso com tudo o que tinha acontecido, ela me informou que a Goldie pode andar mais resmungona porque esteve com cio há cerca de 2 meses e pode ter desenvolvido uma especie de gravidez psicologica e aconselhou a esterilização. Mas nem mencionou abate, claro. Entretanto, acabou-se a trinca de arroz para elas, têm comido apenas a ração e, embora às vezes a Goldie ponha "o motor a trabalhar" e vá desafiar a Netty, o certo é que não se voltaram a pegar mais.
Enfim... foi complicado quando a Goldie me feriu, porque vi que não foi apenas um arranhão e estava sozinha (marido fora durante a semana) e depois ouvir a outra a falar de abate... bom... no meu estado (passa pelo blog) fiquei mesmo atarantada das ideias.
Mas mesmo com estes precalços, não me canso de falar com orgulho das minhas meninas e de gostar muito delas. Mesmo que daqui por uns tempos tenha mais alguém por quem sentir um amor incondicional. ;)

Carracinha Linda! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carracinha Linda! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carracinha Linda! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carracinha Linda! disse...

Não bastava ter escrito um longo testamento, quanto mais ter sido publicado 3 ou 4 vezes... Os comentários apagados eram repetidos.

Inca disse...

eu não fico nada chocada, aliás eu comparo muito as minhas filhotas, a de 4 e de 2 patas, muitas vezes até digo a minha filha branca e a minha filha preta.bjs

LuscoFusco disse...

Ai amiga, também te entendo. Neste momento não tenho filhos, nem animais em casa, mas... Txa nan! Tenho um bonsai! E a avaliar pelo estado da pobre árvore, acredita que a minha experiência como "mamã" não correu muito bem.Loool...
Não podia concordar mais com o comentário da Van Dog. Às vezes os humanos esquecem-se MESMO de que também são animais...

Beijinhos gigantes!

sandra calvar disse...

olá!
realmente é verdade, em menos de ois meses migas três amigas minhas tiveram bébes.
uma delas - faz parte do grupo de melhores amigas, por isso conhece-me muito bem - na segunda vez que fui ver a Maria - eu sou a Titi :) - perguntei o que tinha dito o veterinário sobre as alergias da pele que ela tinha....bem.....desatei logo a rir e pedir desculpa à mãe, e diz ela logo muito depressa : não faz mal, eu e o pai já dissemos o mesmo!!!! pediatra=veterinario :) LOL