06/04/09

Pensamentos do dia

A newsletter de Abril já foi lançada pela corrente de email do SOS Animal e brevemente estará também no site. Quem a viu diz que está cada vez melhor, mas eu, como sou perfeccionista, fiquei triste por não ter reparado numas quantas gralhas... é o que dá escrever com uma mão ainda em carne-viva...

A newsletter é escrita em nome da associação e, tirando o espaço de opinião (nomeadamente a secção "crónica do mês"), não me sinto muito à vontade para tecer comentários pessoais. O que vale é que partilho todos os valores do SOS Animal, por isso até agora nunca me vi confrontada com nenhum dilema moral.

O que acontece é que hoje, sobretudo depois de ter prestado a visitinha habitual ao Blog da Xana, sinto necessidade de dizer algumas coisas e, mesmo não chegando a tantas pessoas como aconteceria se as tivesse incluído na newsletter, acho que este é o espaço mais indicado para o fazer.

Aqui vai:

Fico chocada de cada vez que alguém larga no canil os animais de um familiar falecido. Não há direito! Então as pessoas gostam e cuidam dos seus animais e não podem partir descansadas sabendo que alguém continuará a cuidar deles? Mas em que raio de mundo é que vivemos?

Outra coisa que me deixa passada é saber que há animais em risco de irem parar às malfadadas lutas (às vezes até já me tem passado pela cabeça que o Sushi servia para isso mesmo) e só me dá vontade de os trazer todos para casa para impedir que sejam apanhados pelas mãos erradas. São animais meigos, assustados, que dão o seu coração ao primeiro que lhes estender a mão, para depois afinal servirem de isco e morrerem de formas demasiado cruéis para conseguir sequer pensar nelas. Nunca acontece nada a estas "pessoas" que fazem isto... Deviam experimentar serem "carne para canhão" durante um dia para verem se gostam!

Por fim, a mesma lengalenga de sempre: a indiferença das pessoas perante o sofrimento dos animais e o esforço acrescido que isso traz a quem decide ajudá-los. De cada vez que um animal é atropelado e deixado para morrer, se tiver a sorte de ainda ser socorrido a tempo, quem o ajuda já sabe que vai ter uma conta astronómica no veterinário. E isto até ao dia em que já não haverá ninguém com coragem para se meter nisso. Deveria haver uma espécie de sistema de saúde público para os animais, em que os animais de rua estivessem isentos, sei lá... Porque quem tem animais também tem as suas despesas (que nem dedutíveis no IRS são, essa é outra) e não pode dar-se ao luxo de andar por aí a ajudar os outros todos...

Bolas para isto tudo. Apetece-me dizer asneiras... partir alguma coisa... Estou mesmo revoltada!

7 comentários:

Anita disse...

É mesmo uma situação complicada. Eu própria já fui família de acolhimento de vários canitos e tive que pagar as despesas no veterinário uma vez que as associações não podem ajudar nesse sentido. Ainda há um mês e meio apanhei na rua uma cadelinha que trouxe para casa e que acabou por ter 5 cachorros e tive de suportar todas as despesas, apesar de ter pedido ajuda. Não há volta a dar, e quem ajuda os animais fica sempre, de alguma maneira, prejudicado: seja monetária ou emocionalmente. Concordo: é mesmo revoltante!

Van Dog disse...

As notícias deixam-nos sempre sem ânimo...
Quando vejo acções junto de crianças, penso que talvez as coisas mudem profundamente. Mas demora...
Mudar a lei - e cumpri-la - podia ajudar mais depressa, mas os nossos políticos estão mais interessados em... digamos... assuntos mais pessoais?

Adorei a newsletter! E digo-te, sou um especialista em gralhas e não vi nenhuma... :)

Sónia disse...

Nem mais!!!!!

Voluntários disse...

Olá a Associação de Voluntários do Canil/Gatil Municipal do Seixal criou um blog para divulgação dos nossos animais, e de outros que precisem de ajuda.
Pedimos a divulgação.

Muito obrigada

Voluntários disse...

O blog:
http://amigos-animais-seixal.blogspot.com/

Polli Peste disse...

É tudo tão triste quanto verdadeiro...e aqueles que se preocupam e fazem pelos animais estão em desvantagem numérica, nem digo em relação áqueles que lhes querem mal, porque para a maioria das pessoas este é um assunto que lhes passa ao lado, é indiferente...
É uma questão cultural mesmo, esta indiferença em relação aos animais, o que é bastante evidente ao ver programas de tv britânicos como o hospital dos animais (onde até lagartixas magoadas se vê os ingleses levarem ao vet! coisa impensável aqui em Portugal, onde uma lagartixa é "para matar logo" ou "cortar lhe o rabo para o ver a mexer sozinho"...) ou visitando países como França ou Itália onde entrar num qualquer estabelecimento acompanhada por cães é perfeitamente normal...Os portugueses, no geral, são muito medíocrezitos, o grande período de tempo expostos à Inquisição estupidificou-nos e, portanto, demoramos sempre mais algum tempo a evoluir...Resta aos que não se deixaram estupidificar, continuar a lutar pela destupidificação dos restantes.

Muito obrigada por ser interventiva como é no que toca a destupidificar os Portugueses*

Inca disse...

custa, é muito triste, mas é mesmo assim.a indiferença em relação ao sofrimento dos animais e o olhar de troça para daqueles que se preocupam, deixa-me sempre com uma revolta enorme.resta-me a esperança que um dia as coisas mudem e até lá a prestar a minha gratidão por aqueles que se preocupam.beijinhos