18/02/09

Porque é que os bombeiros lá do bairro foram os primeiros a conhecer o Sushi

Há precisamente 6 meses atrás, quando encontrámos o Sushi a deambular sozinho, magro e sujo, em pleno condomínio de luxo em Alcântara, ele trazia uma trela e uma coleira.

A particularidade da coleira é que era uma corrente já com chapa incorporada (mas sem nenhuma gravação), que seria usada como estrangulador não fosse ter um cadeado - SIM, UM CADEADO - a obrigá-la a ficar sempre mais curta e assim a servir de coleira.



Para piorar a situação, o anormal que lhe pôs este cadeado deve tê-lo feito quando o Sushi ainda era pequeno, mas como ele entretanto ficou um bisonte a corrente começou a estrangulá-lo mesmo. Não é irónico?

Lembro-me que das primeiras vezes que passeiei o Sushi nem podia dar-lhe puxões porque o pobre do cão começava logo a engasgar-se. Obviamente, arranjámos forma de o livrar daquela vergonhosa prova de maus-tratos. Como? Ter um quartel de bombeiros no bairro tem as suas vantagens... Eles foram buscar uma "tesoura" que o cortou com feliz precisão e inesperada facilidade. Quem viu diz que parecia uma faca a cortar manteiga!

Viva a liberdade, não é Sushi?




PS - A corrente ainda serviu o seu real propósito durante uns tempos, já com o novo nome e contacto gravados, mas não sobreviveu até aos dias de hoje. Por altura do Natal, o Sushi teve um encontro imediato de 1º grau com o ex-namorado da Emma, um labrador chamado Denver, e o puxão que deu ao Dono foi de tal ordem que a corrente quebrou. Pois... ele é uma besta... sobretudo se tiver com o chip "macho dominante" ligado.

7 comentários:

Ana disse...

Fico chocada com a maldade das pessoas.. Palavra! Ainda agora ando louca aqui no Pinhal Novo pq encontrei um cão num lote de terreno, fechado, magro e sujo e não sei que faça. Ele tem uma coleira mas não me parece tratado convenientemente. Ando agoniada! Contactei uma organização da zona mas temo que não consigam fazer nada pois estão sobrelotados e eu com as minhas pestes em casa não os posso acolher. :( Até durmo mal...

Doninha do Pepe e da Alice

Uma dona babada disse...

pois, todas as associações que conheço estão sobrelotadas e se não é a ajuda dos particulares que lá vão podendo dar uma ~mãozinha, não sei onde isto vai parar.
estou numa situação parecida com a Leila, uma cadela boxer pela qual me apaixonei, mas como nao a posso ter cá em casa, tirei-a do canil de lisboa e pu-la num hotel baratinho. O problema é que agora todos os meses tenho de angariar dinheiro entre amigos e conhecidos para pagar as despesas dela...

Ana disse...

Duvido que consiga angariar dinheiro para uma coisa dessas e eu sozinha não consigo. As pessoas andam demasiado centradas nelas mesmas e nos seus problemas para pensar nos outros. Estou ansiosa a aguardar que a tal organização me diga qualquer coisa e sou sincera, no entretanto evito passar naquela rua.. N tenho estomago... :(
Quanto à Leila (eu já li a história dela aqui)diz-me qualquer coisa. Dentro das possibilidades, lá em casa alguma coisa se há-de arranjar!

Van Dog disse...

Saiu-te a sorte grande, Sushi. Que bom! É a coisa não devia estar nada bem, não...

É verdade que se fala de tantos casos... e tanta gente anda atrapalhada com os seus problemas....

Sónia disse...

Sorte grande não!! Euromilhoes mesmo!!

Ana, faz apelo na net! http://companhiadosanimais.pt/ aqui normalmente ajudam quem precisa!

Ana disse...

Obrigada vou tentar! :)

Uma dona babada disse...

a pedido de muitas famílias, alterei a foto para se ver melhor o dito cujo cadeado.